Vereadores querem mais informações sobre Consórcio do Lixo que deverá ser implantado em Três Rios

fabiano-nilcelio.jpg

Os vereadores Fabiano Oliveira e Nilcélio Sá, após serem indagados sobre a implantação do aterro sanitário que deverá ser instalado em Três Rios, enviaram requerimento ao Governo Municipal, com o objetivo de saber sobre o processo do Consórcio Público de Gestão Associada e Integrada de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Serra III, que cria o Aterro de Lixo em Três Rios.

Para isso, os vereadores solicitaram cópias de documentos que vão ser utilizados para apontar a situação do Consórcio que deveria estar em funcionamento desde 2011. Dentre os documentos solicitados estão: processo licitatório, licença ambiental, estudo de impacto ambiental, ata das audiências públicas, documentação do terreno e autorização da concessionária que administra a rodovia, Concer.

“A ideia desta solicitação é saber como ocorreu todo o processo de autorização e em que pé se encontra. A partir disso, analisaremos todas as informações e tomaremos as medidas que acharmos cabíveis, levando em conta os benefícios e prejuízos que este projeto poderá trazer para nossa cidade, como também a opinião da população, que a meu ver, estava até esse momento totalmente desinformada e agora passou a demonstrar grande preocupação”, explicou o vereador Fabiano Oliveira.

No total, o município será responsável por receber aproximadamente 450 toneladas de lixo, sendo: 250 toneladas de Petrópolis, 25 toneladas de Paraíba do Sul, 15 toneladas de Sapucaia, 11 toneladas de Areal, 9 toneladas de Comendador Levy Gasparian e 70 de Três Rios. A partir do momento da inauguração, os municípios vizinhos irão desativar seus lixões.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, os lixões deveriam ter sido extintos em 2014. No entanto, Sapucaia é hoje o único município da Região Centro Sul que já conta com aterro sanitário. Com um investimento de Furnas de aproximadamente R$ 5 milhões, o aterro entrou em funcionamento em 2011.

O aterro que será implantado no KM 18 da BR 040, em Três Rios, seguirá rígidas normas ambientais, com tratamento biológico do chorume e captação do gás metano. O lixo será depositado sobre uma camada impermeável de polietileno de alta densidade para impedir vazamentos e a contaminação do lençol freático. Já o metano será transformado em gás carbônico e reaproveitado.

Na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) em 2012, o projeto de lei 1.726 queindica a transitoriedade nos municípios membros do consórcio e prevê requalificação e auxílio aos catadores que trabalham em lixões a serem desativados foi aprovado em 2012.