Vereador Clecinho homenageia advogada por lançamento de livro

clecinho-homenagem2.png

A advogada Ana Carolina Pinto de Nigris foi homenageada com moção de aplausos pela Câmara de Vereadores de Três Rios na noite da última quinta-feira (05) em reconhecimento por sua atuação profissional e como forma de parabenizar pelo lançamento do livro “O Controle Judicial das Decisões dos Tribunais”.

Autor da proposta, o vereador Clecinho fez a leitura da moção, falou aos presentes sobre a qualidade do livro e destacou a atuação da profissional. “É uma pessoa do bem que abre as portas do escritório no Rio de Janeiro sempre que preciso de auxílio para atender as demandas da nossa população. Não poderíamos deixar de parabenizá-la pelo livro e de reconhecer sua atuação profissional, sempre com muito carinho, conhecimento e dedicação em prol da Justiça”, destacou.

O vereador Nilcélio Sá, presidente da Câmara, parabenizou a advogada e reforçou a importância do reconhecimento. “Temos que celebrar e reconhecer o valor das pessoas. Agradeço a oportunidade de conhecê-la, assim como sua sócia e sua equipe, e deixo as portas da nossa Casa abertas. Sua competência e seu profissionalismo são nítidos pela forma como abordou o tema no livro, contribuindo com importantes debates jurídicos”, afirmou.

Ana Carolina agradeceu aos vereadores pela homenagem e ao apoio da equipe no escritório Furtado De Nigris Advogados Associados. “Sem minha sócia, Camila Furtado, e minha equipe nada seria possível. Acreditamos juntas no sonho de construir um escritório para fazer o bem e estamos à disposição em tudo o que os senhores precisarem”, disse a advogada, que fez a doação de um livro para a Câmara.

O livro é fruto do trabalho de monografia da advogada desenvolvido durante a graduação que foi aperfeiçoado ao longo da carreira profissional. Aborda a análise da possibilidade do controle do Poder Judiciário sobre as decisões proferidas pelos Tribunais de Contas julgamento das contas dos ordenadores de despesas. Segundo a autora, é imprescindível a discussão sobre a possibilidade e faz-se necessária a reflexão sobre quem controla os controladores.