Orçamento impositivo é aprovado e Poder Executivo disponibilizará 1,2% do orçamento para atender indicações dos vereadores trirrienses

DSCN0133.jpg

Após cumprir período de interstício, a Câmara de Vereadores de Três Rios voltou a discutir na última quinta-feira, dia 13, a mudança na Lei Orgânica do Município (LOM), incluindo o orçamento impositivo. Embora o projeto tenha sido aprovado por unanimidade na primeira votação, na segunda discussão, quatro vereadores reviram seus posicionamentos.

Isaías de Oliveira, Carlos Alberto Barbosa Domingues (Betinho Barbosa), Rozemar Duarte Neves (Guezo) e Arthur Palante votaram contra a mudança, que obriga o Poder Executivo a destinar 1,2% do orçamento para atender emendas apresentadas pelos vereadores.

Dentre os defensores do projeto, estava o presidente da Comissão de Justiça e Redação da Câmara de Vereadores, Fabiano Oliveira. “Os vereadores são constantemente cobrados pela população por diversas melhorias em várias áreas do serviço público e, muitas vezes, essas demandas não são atendidas. Essa lei possibilitará a cada vereador atender parte desta demanda, fazendo com que efetivamente a vontade popular seja efetivada através de seus representantes” justificou o vereador, lembrando inclusive que, metade dos valores das emendas serão destinados obrigatoriamente para a saúde.

Como na primeira vez, a votação foi nominal. Votaram a favor da implementação do Orçamento Impositivo: Fabiano Oliveira, Robson Souza, Clecius Silva e Sousa (Clecinho), Francisco Carlos Gama (Bill), Rogério Camarinho, Telmo Cardoso, Rafael Brasiel, Josimar Ribeiro Alves (Zimar), Juarez de Souza, Jonas Mascarenhas Macedo (Jonas Dico) e Nilcélio Sá.