Fabiano Oliveira apresenta relatório sobre desvio de verbas

Nilcélio-e-Fabiano.jpg

O vereador Fabiano Oliveira apresentou na reunião da Câmara Municipal, da última terça-feira, dia 18, o relatório da fiscalização sobre desvio de verbas federais que deveriam ter sido direcionadas pela Prefeitura de Três Rios para a Clínica de Doenças Renais (CDR Três Rios), em dezembro de 2016 na gestão Vinícius Farah.

Por conta da falta do repasse da verba, a instituição que atende pacientes de Três Rios e cidades vizinhas teve o atendimento prejudicado no fim do ano passado e início deste ano. “A falta do repasse da verba federal pôs em risco o funcionamento da clínica, paralisação que geraria risco de morte para muitos pacientes renais de Três Rios e da região, fato que causou muita indignação para os funcionários da clínica, pacientes e familiares. Quando tive ciência da situação, iniciei a fiscalização e solicitei informações. Pela documentação enviada pela Prefeitura Municipal, pude constatar que no dia 26 de dezembro, o município recebeu cerca de R$ 346 mil de verba carimbada, destinada exclusivamente para o pagamento destes serviços. Porém estes valores foram gastos ainda no ano de 2016 com outras despesas”, resumiu o vereador.

Mesmo com a regularização dos pagamentos realizada pela nova administração municipal, o vereador informou que encaminhará o relatório de sua fiscalização para o Ministério Público e para o Tribunal de Contas do Estado. “Apesar da regularização da situação, entendo que este tipo de conduta não possa ficar sem punição. Temos que considerar as verbas da saúde sagradas! Por isto, encaminharei o relatório para que os órgãos competentes analisem também as informações e tomem as medidas que acharem cabíveis”.

O atraso do repasse financeiro para a Clínica de Doenças Renais de Três Rios gerou muitas reclamações e denúncias feitas ainda no governo anterior, pelo vereador Nilcélio Sá, atual presidente da Câmara de Vereadores de Três Rios. “É de conhecimento de todos que muitas vezes fui ao Ministério Público denunciar o atraso do repasse. Em janeiro deste ano tivemos uma reunião no Ministério Público, para tratar deste assunto e a promotora Clarisse Maia da Nóbrega disse que iria arquivar o processo já que o repasse estava em dia – pois foi uma das primeiras medidas do prefeito Josimar Salles ao assumir o governo. Ela disse, no entanto, que se tivéssemos prova deste desvio, que o processo seria reaberto. Acredito ser este o caso”, disse Nilcélio Sá, acrescentando que também participaram da reunião o secretário de Saúde, Gilberto Golfeto e o diretor da Clínica de Doenças Renais, Ivan Matiolli.