Câmara de Vereadores de Três Rios realiza audiência pública para debater sobre o aterro sanitário na próxima segunda-feira

19275218_1343873602398810_6201933132523928416_n.jpg

A Câmara de Vereadores de Três Rios realizará na próxima segunda-feira, dia 03, a audiência pública para debater questões sobre o aterro sanitário que está sendo construído na cidade trirriense. A intenção dos vereadores solicitantes, Fabiano de Oliveira e Nilcélio Sá, é que sejam analisados os prós e contras desta instalação, principalmente no tocante ao impacto ambiental e bem estar das comunidades próximas ao empreendimento.

Serão convidados para esta audiência, representantes do Poder Executivo, do Ministério Público, da Defensoria Pública, da empresa responsável pelo aterro, das comunidades envolvidas e de outros segmentos da sociedade.

“A área onde está sendo construído o aterro é muito próxima das comunidades da Vila Paraíso, Rua Direita e Cariri, sendo uma região com grande possibilidade de expansão urbana. É preciso muito estudo principalmente muito cuidado, pois estaremos depositando não só nossos resíduos, mas de outros municípios. É um empreendimento particular e precisamos verificar como está sendo conduzido todo esse processo de instalação”, justificou o vereador Fabiano Oliveira.

“Solicitamos informações sobre este aterro e não obtivemos respostas claras. Por exemplo, estudamos a situação e percebemos que não está especificada a capacidade média de resíduos a serem recebidos no aterro sanitário projetado. Assim como também não sabemos sobre a localização e largura da área de reflorestamento que deveria estar previsto no estudo. Esta audiência tem o objetivo de esclarecermos nossas dúvidas, ouvir a população e os técnicos responsáveis por este empreendimento”, explicou o presidente da Câmara de Vereadores de Três Rios, Nilcélio Sá.

Após a inauguração do aterro, Três Rios será responsável por receber até 450 toneladas de lixo diariamente. A estimativa é a seguinte: 250 toneladas de Petrópolis, 25 toneladas de Paraíba do Sul, 15 de Sapucaia, 11 de Areal, 9 toneladas de Comendador Levy Gasparian e 70 de Três Rios.

De acordo com a política nacional e estadual, o prazo para os municípios eliminar os lixões, venceu em 2014. Portanto, há três anos, os municípios tinham que estar destinando corretamente os resíduos sólidos.

A audiência será realizada no auditório da Universidade Federal Rural do Estado do Rio de Janeiro, que fica na Avenida Alberto Lavinas, nº 1847, Centro da cidade, a partir das 18h30.